segunda-feira, 2 de novembro de 2015

interrogAção


Claudette Joubert, uma loira esguia, nórdica, tinha um padrão de beleza diferenciado. Parecia uma atriz estrangeira “perdida” na rua do Triunfo. Ela era atriz-esposa-musa do cineasta Tony Vieira, profissional que tinha como característica filmar gêneros policiais e faroestes. Claudette estava nesses filmes que eram verdadeiros retratos de sua gama de afetos, que iam além da fábula e do roteiro e se convergiam para a própria relação pessoal e profissional que mantiveram por muitos anos.

Leia o texto completo em: http://interrogacao.com.br/2015/11/claudette-joubert-dossie-boca-do-lixo/

Nenhum comentário: