terça-feira, 19 de outubro de 2010

David Cardoso



David trabalhou como continuista e diretor de produção na Pam Filmes, empresa criada por Mazzaropi, um dos mais importantes atores cômicos do Brasil.  Ao longo da sua trajetória no cinema, fez mais de quarenta filmes, sendo considerado um dos, ou o maior, nome da pornochanchada.

Qual é a importância histórica que o curta-metragem tem no cinema brasileiro?
Certamente tem sua importância, embora os exibidores, principalmente, nunca tenham dado a devida importância a isso. A impressão que se tem é que eles acham que, por ser um curta, não é cinema. Digo isso porque, ao longo de minha carreira dificilmente um exibidor ou distribuidor pediu para que eu fizesse tal trabalho.

Por que os curtas não tem espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Por várias razões. Uma delas é que, dificilmente, num curta, você vai encontrar um ator conhecido nacionalmente. Por outro lado, falando dos exibidores, eles acham que isto pode cortar o horário das sessões porque, aumentando pelo menos 15 minutos por sessão, no fim do dia, pelo uma sessão do longa metragem será suprimida.

É possível ser um cineasta só de curta-metragem?
Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...É claro que é possível. No nosso mundo cinematográfico brasileiro, existem vários diretores (e produtores) que se aventuraram neste ramo e, além de terem conseguido um bom público, foram agraciados com vários prêmios nacionais e internacionais.

O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Positivo. Também por várias razões. Uma delas é que o produtor e diretor que se acostumou, ou se iniciou no longa, acha que é um desprestígio à sua capacidade, fazer um curta. Se bem que, hoje em dia esse não é o reflexo dos cineastas atuais, haja visto que eu, ao longo de mais de 70 filmes, me aventuro agora, apenas pela terceira vez, a realizar um curta. Estou muito empolgado, e isto pode significar minha volta a outros curtas ou longas (antes fiz os curtas Rio Paraguai e Virgem de Caacupê, ambos de produção sul-mato-grossense em parceria com o Paraguai)

Qual é a importância que os curtas tiveram na sua carreira como diretor e ator?
Pouca importância devido ao número pequeno de produções deste tipo, que fiz.

Qual é o seu próximo projeto?
No momento estamos finalizando a produção do curta "Maria-fumaça, Chuva e Cinema", que será em Maracaju-MS e Bauru-SP, esta a única cidade que possui um museu com a maria-fumaça completa, isto é, locomotiva e vagões, já que a ação se passa no ano de 1955. Em resumo, mostraremos as peripécias de um menino tentando assistir, em sua cidade natal (Maracaju), a uma única exibição de um longa americano intitulado Mogambo (com Clark Gable, Ava Gardner e Grace Kelly, com direção de John Ford). É um filme nos moldes de Cinema Paradiso, Central do Brasil.

Nenhum comentário: