sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Imara Reis



Imara Reis é atriz e pós-graduada em Teatro pela Escola de Comunicação e Artes da USP, onde defendeu tese sobre o gênero popular pastoril, que resultou no estudo "Pastoril, o povo e o poder".

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Uma das opções seria ter sessões específicas para curtas; a outra seria ter um horário em cada uma das TVs abertas.

Por que os curtas não tem espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Pelo mesmo motivo que o teatro etc..., isto é, eu adoraria saber....

Você já participou de diversos curtas, entre eles ‘Ímpar Par’, ‘Mano a Mano’, ‘O Seqüestro’, ‘Obscenidades’, ‘Piccola Crônica’, ‘Três Moedas na Fonte’, entre outros,
o que te leva a aceitar um convite para atuar em curtas?
Intuição. Eu "sinto" o projeto e tento intuir se me vejo nele.

Como é o seu método de preparo, você que trabalha com teatro, com cinema, curtas e tudo mais. Tem alguma diferença de preparação do papel para o curta em relação ao teatro?
Sim, mas em todos o calque está na busca de compreender que personagem é essa, porque ela está ali, com que finalidade e como ela está.

Cada vez mais freqüente um ator ir para trás das câmeras e fazer um filme. Você pensa um dia, em gravar um curta, tem alguma idéia?
Tenho várias, mas para longa.

Nenhum comentário: