quinta-feira, 3 de maio de 2012

Amanda Alves

Amanda é atriz. Fez recentemente ‘Kabbalah’ e ‘Oabajour’, dois longas que serão lançados em breve.


O que te faz aceitar participar de trabalhos em curta-metragem?
O desafio e a visibilidade que tal trabalho (personagem) me oferece, um roteiro bem escrito, boas ideias, profissionalismo, etc.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Porque pensou em curta as pessoas já pensam em uma coisa universitária, amadora, mas as produções dos curtas cariocas têm melhorado bastante.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Internet e no cinema antes das sessões ou uma sala onde passe curta o dia inteiro, cada horário passa três curtas do mesmo gênero ou simplesmente curta de meia em meia hora no cinema, você paga dois reais pra ver um curta e assiste quantos quiser, enfim existe mil maneiras para atingir mais público, inclusive o apoio das salas de cinema.

É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Sim, se você sempre tiver um projeto bom e captar recursos, creio que sim, mas realmente quem faz um curta bom e mordido pelo bichinho do cinema e acaba sempre botando na cabeça que da próxima vez é vai ser um longa.

O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Pelo contrário e aonde se percebe bons profissionais em todas as áreas e cargos que um filme precisa e com certeza pessoas que vão fazer parte desse mercado que cresce cada vez mais aqui no Brasil que é a indústria audiovisual.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Penso sim, quem sabe no próximo ano.

Qual é o seu próximo projeto?
Fiz dois longas recentemente, ‘Kabbalah’ e ‘Oabajour’... Aguardem !! rs

Nenhum comentário: