sábado, 19 de maio de 2012

VAGA IDEIA


Um Multilinguagem de Fato

O cineasta Neville D’Almeida, foi um dos ícones do cinema marginal, porém foi maior que isso, foi além.

É um artista multiliguagem na acepção da palavra. Ir além das exibições cinematográficas e bate-papo permitiria ao público a oportunidade de acompanhar com mais amplitude as suas ideias.

Provocador e iconoclasta, Neville D’Almeida sempre mexeu com as estruturas quando nelas transitava. Remodelou o conceito do cinema ao utilizar slides, o conceito de arte com a série Cosmococas, onde surge o Quase-Cinema, com o teatro ao ir além das simples adaptações entrando com contundência na alma dos escritores. Ao convidar Jorge Mautner para escrever seu primeiro roteiro uniu a lírica musical e o seu poeta marginal e abalou os ditames da sétima arte.

Jamais se prendeu aos cânones, foi sempre além.

Neville não pode ser classificado como cineasta, artista visual ou fotógrafo. É artista! Rompeu barreiras territoriais de forma completa e complexa.

Sempre impôs a si desafios que exigiam uma pluralidade de conhecimentos e experiências, indo com o pensamento para as mais variadas direções.

O que nos aproxima de Neville é que, fora os sucessos, obteve também fracassos, foi incompreendido sob a forma de ataques duros, foi vaiado, rejeitado e mesmo assim seguiu adiante, firme com as suas ideias. “Só vencer dá desânimo”, disse Neville.

‘Neville D’Almeida – Além Cinema’ é a oportunidade de colocar a história de Neville D’Almeida e do Cinema Marginal no eixo. Venham ao Sesc Santo Amaro e confiram.

Rafael Spaca, radialista, autor do blog Os Curtos Filmes (http://oscurtosfilmes.blogspot.com/)

Nenhum comentário: