sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Einat Falbel

Formada em Artes Cênicas pelo Teatro-Escola Célia Helena, Einat Falbel trabalhou sete anos no Grupo TAPA, participando das montagens "Vestido de Noiva"” (direção Eduardo Tolentino de Araújo), "Casa de Orates"”(direção de Brian Penido) e "Morte e Vida Severina"”(Silnei Siqueira). Na Companhia do Feijão atuou nas peças "Ó da Viagem Movido a Feijão"”e "Antigo 1850"”(direção de Pedro Pires) e "Crime e Castigo"”(coordenação Antônio Araújo, Luís Alberto de Abreu e Lucienne Guedes). Seu trabalho para o cinema inclui os filmes “"O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias" (direção de Cao Hambúrguer) e "Lula, o Filho do Brasil"”(direção de Fabio Barreto).
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Acho que o mesmo estímulo que desperta meu interesse num texto de Teatro, se há um bom argumento, um bom roteiro, uma história bacana...atores sempre tem gana de experimentar outras linguagens, participar de um curta é um exercício que um dia pode desembocar num longa... e por aí vai... acho que todo ator sonha com um papel incrível num  filme,  participar de um curta- metragem  é  fazer Cinema.
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Imagino que seja pela falta de apelo comercial, ou talvez pela falta dessa tradição, não sei responder porque o que sei é que todo mundo que está se formando na escola de Cinema, filma Curtas, que quase sempre tem pouca verba, normalmente recém formados nos chamam pra fazer seus filmes, e eu acho que agente faz  porque acreditamos que esse diretor iniciante hoje pode ser o "Walter Salles "amanhã e quem sabe lembrar da gente... rsrs. Por outro lado tem gente que  é bem experiente, tenho um amigo por exemplo que faz curtas muito bons o Sung Sfai, ele é um expert!
 
É preciso ser muito competente, pra contar muito em pouco tempo e ainda assim ser interessante, é uma especialidade! Mas a maioria das pessoas não sabe disso, não é?
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
 
Bom, tudo é possível, mas fico pensando que todo diretor apaixonado por filmar curtas, deve ter aquele projeto guardado a sete chaves  para um  ser  um longa um dia...
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Nossa  não faço a menor idéia...acho que sim, somos todos muito preconceituosos no final das contas...deve ter de tudo, como há aquela eterna discussão sobre o valor da Comédia em detrimento da Tragédia, do Drama. Tenho notado Diretores renomados que investirem, produzirem filmes de baixo orçamento, Curtas, novos ou jovens diretores, montadores e etc... estou enganada? 
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Pô, adoraria! Mas acho que eu teria que estudar e aprender MUITO antes de me aventurar a ser uma diretora de Cinema, quero mesmo é atuar!
 
Então parafraseando um amigo meu: Beijo me indica!

Nenhum comentário: