sábado, 14 de julho de 2012

Fernando Alves Pinto

Fernando é ator, protagonista do filme ‘2 Coelhos’. Atuou também em ‘Nosso Lar’, ‘Lula, o Filho do Brasil’, entre outros. Em curta-metragem, ‘Gasolina Comum’, ‘OFusca’, ‘O Sumiço do Amigo Invisível’, são alguns dos trabalhos que podem ser conferidos.

O que te faz aceitar participar de trabalhos em curta-metragem?
Sintonia. Algum tipo de identificação, seja com o tema, personagem ou equipe, já que é um trabalho de equipe, de time. Acho que todo o trabalho deveria partir de isso, "vamos contar uma história? encenar um poema? Mesmo os que não partem desse ponto, acho que deveríamos levá-lo até aí pra sair.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Comparo os curtas-metragens com os contos ou poemas, eles são mais discretos a princípio. É um erro da mídia, os curtas são discretos, mas não desimportantes. E a produção de curtas, é feita na maioria por jovens equipes ainda não conhecidas, então não existe o apelo da mídia, que raramente se norteia pelo "conteúdo" de princípio.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Existem longas-metragens feito de Curtas, como livros de contos. Me agrada muito essa idéia, por mais que isso seja difícil e os curtas, por vezes pedem seu tempo, pra digestão, e um aglutinamento pode ser terrível. Me agradava muito também a exibição de curtas-metragens como aperitivo antes dos longas, houve até tentativas de ressuscitar esse hábito. Acredito que a manutenção e criação de novos festivais (por mais que a aglutinação quase nervosa dos curtas nos festivais podem nos deixar um pouco perdidos)  e, principalmente, maior atenção da mídia, possivelmente com apresentação de curtas premiados e etc, lhes exibindo com a importância que tem.
  
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
É que filmar um longa é delicioso, um mergulho por meses...  Mas acredito q existam cineastas q são melhores contistas do que romancistas, mas como nossa produção é pequena como um todo, fica difícil saber, e o padrão é mesmo esse do trampolim.

O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Não acredito que seja. "Tamanho não é documento" já dizia o velho deitado.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Sim, certamente, ainda me procuro nos meus escritos e histórias, mas virá!

Nenhum comentário: