sábado, 4 de maio de 2013

Érico Brás

Ator. Intérprete de Jurandir, em ‘Tapas e Beijos’. A série é o segundo trabalho de Brás na televisão. Antes, ele participou de ‘Ó Pai Ó’.
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Curta metragem não deixa de ser um filme. Ele difere em algumas pequenas coisas, mas não deixa de ser um filme. É objetivo. Tem curtas muito bons que gostaria de ter feito. Eu participaria de um curta que tivesse um bom roteiro.
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Não sei dizer exatamente porque. Mas acredito que os longas tem um investimento maior e por isso tem uma divulgação,visibilidade que faz com que os críticos de cinema naturalmente os veja. Não dá pra comparar a divulgação de um filme como ‘Ó Pai Ó que teve uma produção que dispunha de divulgação, distribuição, etc. ... com um curta "X" que foi feito com o básico necessário,na cara e na coragem.
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Existem diversos festivais de curtas pelo mundo. A gente deveria aprender a organizar da mesma forma que se dá essas exibições em outros países. Acredito que estamos bem, o nosso cinema vem mudando,avançando muito bem. Acho que a TV aberta podia inserir na sua programação. Exibir. A exemplo disso temos o Canal Brasil que tem na sua programação espaço para curtas.
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Claro que sim. Mas cinema é vicioso. Quem faz um curta bom quer fazer um longa. De fato é um trampolim. Tem alguns curtas que já tem cara de longa....
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Não acredito. Acredito na mudança de estágio, a pessoa já fez vários curtas e agora não quer mais. Claro que tem os egos, etc... mas não acho que um cara que já o fez em outrora tenha um desprezo por esse tipo mais compacto de filmagem.
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Sim! Curtas,médios e longas. Sem dúvida. Mas é cedo ainda pra falar disso.

Nenhum comentário: