quarta-feira, 13 de agosto de 2014

5 Estrelas da Boca: Noelle Pine

Cena da peça "Hotel Puramente Familiar".

"Hotel puramente familiar era uma comédia que fiz ao lado da minha amiga Zilda Mayo, e ficamos muito tempo em cartaz no Teatro Abertura, que ficava na Praça Padre Péricles, no final do Minhocão. Hoje ali é uma empresa da Telefonica. Foi nessa época que estreitei meus laços de amizade com a Zilda, e também passei por momentos dolorosos quando perdi meu pai. Chorava de dia e tinha que fazer o público sorrir a noite. E é nesses momentos que você aprende a valorarizar as pessoas que te cercam e entender o sentido literal da palavra amizade."





"CVV  Boa noite tem história pra contar...rs. Era uma comédia do Ronaldo Ciambroni (o autor mais encenado no Brasil) e que fizemos, coincidentemente e simultaneamente, a Zilda Mayo e eu. Ela viajava quando estávamos em São Paulo com a peça e vice-versa. Foi um espetáculo que deu muita polêmica, porque o CVV –Centro de Valorização da Vida- que é uma ONG respeitada que atende pessoas que ligam num momento de desespero em que pensam em suicidar-se, nos processou porque usávamos a sua sigla. Ademais, a personagem principal (que era eu...rs) liga para o CVV dizendo que vai se matar, mas na verdade, o número que ela liga é de um tarado que se anunciou como CVV para ir à casa de mulheres desesperadas. O CVV também nos processou por isso: dizia que a peça atentava contra a seriedade e filosofia da ONG. O caso é que, entre processos e polêmicas, a mídia deu muita publicidade pra nós e ficamos anos viajando com o espetáculo. Pra causar mais polêmica, diziam que a Zilda e eu brigávamos pelo direito de fazer a peça, quando na verdade éramos super amigas. Deixávamos o “fale mal”, mas fale de nós, porque nos interessava para o espetáculo."


Tem um louco em minha cama. Este é, precisamente, o nome que o Ciambroni teve que por para substituir o CVV. (Risos)...


Nenhum comentário: