quarta-feira, 1 de março de 2017

Os Trapalhões: Ana Maria Magalhães


ANA MARIA MAGALHÃES
Atriz

Como surgiu o convite para trabalhar com Os Trapalhões?
Sinceramente, não lembro como surgiu o convite. Lembro que o filme foi rodado em locação, e ficamos hospedados em um hotel. No Rio de Janeiro, gravei apenas no Parque Lage, na esquina do apartamento onde eu morava na ocasião. Aproveitei para levar meus filhos, que eram fãs dos Trapalhões.

Quais as suas principais recordações dos bastidores de filmagens com Os Trapalhões?
Nas filmagens, reencontrei colegas e fiz novos amigos. O diretor, J. B. Tanko, era cineasta experiente que vinha das chanchadas. Sempre gostei de conhecer e trabalhar com essas legendas do cinema. Em algumas cenas, ele rodou com duas câmeras, o que era novidade para mim. Guardo boa lembrança do único contato que tive com ele fora do set. Uma noite alegre, dando risada com o Mussum, em que o J. B.Tanko abriu uma garrafa de champanhe em minha homenagem.

Como era o seu contato com o quarteto (Didi, Dedé, Mussum e Zacarias)?
Era divertido filmar com Os Trapalhões. O contato com o Renato Aragão era mais formal. Uma vez, ele convidou e eu almocei com ele no trailer. Achava graça em todos, mas um foi especial: Mussum. Ficamos chapinhas: eu tirava sarro dele; e ele, de mim. Inteligente e boa-praça, era também sambista do grupo Os Originais do Samba. Mussum era um artista autêntico, sem afetação.

Que representava, naquele período, trabalhar num filme dos Trapalhões, que eram certeza de sucesso de bilheteria?
O que mais me atraiu foi a possibilidade de trabalhar com eles. Contracenar, participar das filmagens e ainda atuar em um filme popular. Os Trapalhões na Serra Pelada foi sucesso de bilheteria, como outros filmes do quarteto.

Por que, na sua visão, os críticos e a Academia rejeitam os filmes produzidos e estrelados pelos Trapalhões?
São filmes que se destinam ao público infantil, bem-sucedidos e, ainda por cima, estrelados por humoristas locais. Acho que Os Trapalhões não andavam em busca de reconhecimento por parte da crítica; e esta, por sua vez, também não estava interessada nos seus filmes.

Nenhum comentário: