sábado, 1 de abril de 2017

Os Trapalhões: Arlindo Silva


“Dos 500 capítulos de Chaves foram aproveitados 400, que demoraram quase três anos para serem dublados, sonorizados e editados.  Quando tudo ficou pronto, Silvio (Santos) me perguntou o que eu estava achando do seriado. Respondi que se tratava de um produto barato, sem qualidades em termos de televisão atual, que pecava pela iluminação, pecava nas cores, sempre muito fortes; enfim, percebia-se que o cenário simples da vila era de papelão. Mas comentei que preferia ver minha filha de quatro anos assistindo a esse humor puro, de circo, como o que eu assistia no Piolim, ao humor que víamos nos Trapalhões, impregnado de erotismo desnecessário. Contei a Silvio que enviara cópias de alguns capítulos aos diretores de programas do SBT para opinarem, e todos tinham considerado o seriado uma droga, uma porcaria. Foi aí que Silvio determinou que se preparasse cinco capítulos para colocar no ar como experiência. Isso aconteceu em 1984”.

Página 112. Trecho do livro “A Fantástica História de Silvio Santos” (Arlindo Silva, Editora do Brasil).

Nenhum comentário: