domingo, 9 de novembro de 2008

Grace Gianoukas

Grace Gianoukas é a cabeça por trás do bem-sucedido Terça Insana – um pot-pourri de tipos caricaturais que se alternam no palco em divertidíssimos esquetes – a cada mês, o espetáculo muda, conforme uma temática diferente. Os personagens são criados pelos intérpretes ou são fruto de criação coletiva do elenco.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Acho que antes de cada longa estrangeiro exibido no cinema tem que passar um curta nacional, e antes de cada longa brasileiro tem que passar um curta estrangeiro....

As TVs abertas e fechadas deveriam ser obrigadas por lei à passar filmes nacionais. Já pensou se na Globo tivesse uma madrugada por quinzena dedicada à exibição de curtas, da meia noite às 6 da manhã? Projetos como o "Curta na Praça" deveriam se proliferar. Imitam tantas coisas originais... porque não imitam isso?

Você já atuou em curtas, como o ‘Flores ímpares’, como se dá a escolha para participar destes projetos?
Atuei em apenas 3 curtas, minha escolha se dá à partir de um convite e da avaliação do roteiro.

O que te motiva, mesmo sabendo que o curta é um gênero underground dentro do cinema, a participar destas produções?
Eu adoro tudo que é original e que tem conteúdo, geralmente isso está no underground, por isso prefiro as produções alternativas. Sinceramente, você acha que eu participaria de um filme da Xuxa ou do Didi?

Como é o processo de preparação, como atriz, para curta-metragem? Dá para se aprofundar na pesquisa da personagem mesmo sabendo que terá poucas falas e aparições?
Qualquer trabalho merece dedicação total, um ator deve se preparar profundamente tanto pra um monólogo de 2 horas quanto pra uma figuração sem fala.

A piada geralmente é curta, vocês humoristas precisam ter um poder de síntese para comprimir a idéia e passá-la ao público ao transmitir a mensagem. Isso é um facilitador para atuar em curtas?
Eu não sou humorista, sou atriz. A atuação, em primeiro lugar, tem a ver com atitude. Seja drama ou comédia, longa ou curta tudo começa e finda na atitude do ator diante da situação que está interpretando.

Pensa em dirigir um curta-metragem futuramente?
Penso em atuar num roteiro meu sob direção do Marat Decartes e da Paula Cohen, com produção da Fuleragem Filmes....Dirigir cinema ainda não é pro meu bico.

Nenhum comentário: