quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Henrique Goldman

O cineasta é diretor do filme ‘Jean Charles’ (2009), longa-metragem baseado na história do brasileiro de mesmo nome, confundido com terrorista e morto pela polícia de Londres. Paulista de 1961, radicado em Londres, começou a carreira de cineasta escrevendo e dirigindo documentários. Seu primeiro trabalho foi ‘New York, Babel Paradise’ (1983), documentário que retratava os jovens nas ruas de Nova York.
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Nunca dirigi um curta. Comecei minha carreira trabalhando na televisão. Como tinha que me sustentar, concentrei-me em trabalhos remunerados. 
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Não sei. Raramente assisto curtas metragens e não acompanho este mercado.
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público
Não tenho uma opinião formada sobre isso. 
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Acho que sim. 
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Não considero que o curta metragem seja uma forma inferior. No cinema não e' a duração que vale num filme.
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Não tenho nenhum projeto de curta, mas não descarto a possibilidade.

Nenhum comentário: