sábado, 13 de julho de 2013

Carla Gallo

Cineasta. Seu mais recente trabalho é ‘Assim é, Se lhe Parece’, onde faz um retrato de Nelson Leirner. Carla também assina entre seus trabalhos mais importantes os documentários ‘Tom Zé ou Quem Irá Colocar uma Dinamite na Cabeça do Século?’ e ‘O Aborto dos Outros’.
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Faz tempo que eu não participo da realização de curta metragem... O último foi o do meu marido, Cesar Cabral, o "Dossiê Rê Bordosa". Fizemos o argumento e ajudei nas entrevistas iniciais. Mas fiz muito curta. Na ECA, fiz vários e de tudo um pouco: produção, continuidade, assistente de direção, elétrica. E foi muito bom, aprendi bastante na época.
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
É, eles tem menos espaço. É uma pena. Tem muito curta bem melhor que longa. Mas é uma questão cultural, acredito. Pra muitas pessoas cinema é longa-metragem de ficção. Numa ocasião de entrevista, na estreia de "O Aborto dos Outros", uma jornalista me perguntou se ele era um "filme" ou um "documentário"...
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
É difícil pra mim, dizer. O Canal Brasil exibe curta em sua grade, mas é um canal que não atinge o grande público, infelizmente. Antes dos longas quando exibidos em cinema? Em sessões especiais como o "Curta Petrobrás às seis"? Em festivais? Na internet? O fato é que, pra quem gosta e quer, os curtas estão bastante disponíveis.
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Eu não acho que o curta seja um trampolim para o longa... Acho que é um formato de manifestação de curta duração, com autonomia própria. O que acontece é que, pela natureza da produção em cinema, que é cara, as pessoas geralmente começam pelo curta, mais fácil de se realizar como primeiro filme.
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Eu nunca ouvi falar de cineasta que desprezasse curta metragem...
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Sim. Tenho um projeto, inscrevi em um edital. Tomara dê sorte e consiga aprovação. Eu nunca tive a oportunidade de dirigir um curta. Pra mim será uma experiência muito importante.

2 comentários:

passinho disse...

Carla, como foi fazer o curta chamado "ton zé ta colocando dinamite no século xx"? estou pesquisando o cara e ele citou esse curta numa entrevista, se puderes me falar algo agradeço,.abraços

passinho disse...

Carla, como foi fazer o curta chamado "ton zé ta colocando dinamite no século xx"? estou pesquisando o cara e ele citou esse curta numa entrevista, se puderes me falar algo agradeço,.abraços