sábado, 6 de julho de 2013

Eduardo Martini

Ator, cantor e dramaturgo. Participou da ‘Escolinha do Professor Raimundo’, ‘O Clone’, ‘Casos e Acasos’, entre outros.
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Um curta acima de tudo tem que ter um excelente roteiro. Contar uma historia em pouco tempo é arte pra poucos. Portanto o roteiro e’ o ponto decisivo.
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Não são só os curtas! O teatro também não tem. Temos poucos críticos. Os espaços que tínhamos para estreias eram de quase uma pagina. Hoje não passam de notinhas. O curta metragem é de suma importância para a formação de atores, diretores e roteiristas que querem seguir como carreira o cinema. Deveriam dar bem mais atenção.
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Havendo divulgação na mídia, espaço em jornais e revistas, críticos especializados e principalmente respeito dos que fazem cinema em geral.
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Sim. É possível. Em arte tudo é possível. Eu acho que mais vale um lindo curta do que um longa chato!!!
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Não sei. Mas acho que um curta é igual a ator de comedia. Parece que não tem prestigio...rsrsrsrs
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Acho cinema uma arte muito peculiar. Fiz três curtas, já ganhei prêmio mas tenho receio. Dirigir cinema é especial, mas como eu acredito em tudo na vida....logo logo quem sabe!

Nenhum comentário: