terça-feira, 25 de setembro de 2012

Zuzu Abu

É atriz e dançarina. Bacharel em comunicação Social pela FAAP e atriz formada pelo Teatro Escola Macunaíma. Estudou clown, canto popular, canto indiano, dança do ventre e dança indiana Odissi .  Como cantora e dançarina, Zuzu Abu é integrante do grupo de música étnica Mawaca.
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Além de cantora (sou integrante do grupo Mawaca de música étnica), sou atriz. O que me cativa a participar de um curta: um bom roteiro, um personagem interessante, uma história de conteúdo intrigante ou uma boa comédia simplesmente, estilo com o qual me sinto a vontade. Gosto da síntese de se contar uma historia num curta.  
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Bem, falando da grande mídia.. nem acho que essa dê o merecido espaço sequer ao cinema. Afinal, fazer críticas e comentar especialmente cinema comercial não tem a dignidade que o próprio cinema merece.  Só se quer falar do que 'movimenta dinheiro'... o restante é tido como 'alternativo' e fica pra segundo plano.  E nesse pacote entra o gênero curta. Ainda bem que temos a internet!  Afinal, ela  é um sistema de distribuição de informação sem precedentes na história da humanidade. A coisa pode mudar por aí...
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Divulgação em larga escala pela internet... promoções de mini festivais ou jornadas de exibição, tipo 'saia de casa e veja 4 histórias no mesmo tempo em que veria uma"...  
Exibições gratuitas... 
Ter horários semanais com exibições de curtas nas salas de cinema convencional, estimulando o público a ir a lugares com os quais está habituado e conhecer 'coisas' diferentes: outras formas de comunicação na linguagem cinematográfica, outras formas de expressão... e não 'vou ver o Brad Pitt ou a Angelina Jolie'... Por favor!!!  
O teatro enfrenta bastante isso ainda... mas agora, além do 'teatrão' tradicional, as pessoas estão saindo de casa e lotando platéias de stand ups e shows de humor! Mudanças... Avant populi!! 
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Acho possível e não fácil.  Tem que ser articulado e meter as caras em todos os editais, festivais.. pra garantir a elaboração e a circulação das produções e mandar bala. Batalhar pelos incentivos todos. Mais uma vez acho a internet uma bênção!  Quanto ao trampolim, bem talvez seja o sabor do desafio que um longa represente a um cineasta que fez somente curtas.. mas, por quê não ficar nos curtas?  Nem todo ator precisa fazer um monólogo pra se sentir completo!  Fazer bem um papel no meio de um elenco, independente do tamanho destes (papel ou elenco..) já é uma grande tarefa! 
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Não afirmaria isso.  Vejo que há expoentes indiscutíveis em ambos os setores, com trabalhos de qualidade e refinamento artísticos.. como há desprezíveis ou de qualidade duvidosa.
Se souber de algum diretor de longa que pense assim (tipo, o curta é uma arte menor, etc..), já começo a suspeitar que o sujeito não merece muito minha atenção especial... Sinistrinho!
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Nunca pensei. Mas participar como atriz (como já participei..), com certeza! Se bem que idéias para roteiros é que não me faltam... vixe!! Só agora já deu vontade de uns 3... mas tenho a produção de um projeto teatral meu pra cuidar e isso já é outra grande tarefa! Então, como dizem os japoneses antes de uma empreitada: 'gambarimashô!'  Força para todos nós!

Nenhum comentário: