quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Fabiano Augusto

Ator e radialista, Fabiano Augusto trabalhou no programa "Turma da Cultura” e depois no RG, ambos da TV Cultura. É conhecido pelos comercias das Casas Bahia.
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Na verdade não fiz muitos curtas, infelizmente. Quando voltar ao Brasil quero fazer mais. Acho a ideia de comunicar uma história em poucos minutos incrível. Quando você está num curta, fica mais atento a todos os detalhes. O trabalho é artesanal. E geralmente faz com pouca verba, com uma equipe que tá começando, um trabalho de amador... no melhor sentido da palavra.
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Acho que falta mais festivais, mais mobilização da própria classe. Não dá pra ficar esperando... Com mais festivais, mais exibições, acho que os canais de comunicação dariam mais espaço para os curtas.
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Como deveria ser a exibição? Como disse, com a criação de mais festivais, ou mesmo sendo exibidos junto com longas...  uma boa opção inclusive na televisão aberta. O publico só tem a ganhar.
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
A partir do momento que se fortalece a indústria de curta metragem, acho que é possível sim. Mas a possibilidade de fazer tanto curtas ou longas é muito mais interessante. O exercício de linguagens diferentes. Você pode ver os curtas do Esmir Filho, como "Saliva" e o longa dele "Os famosos duendes da morte" e ver um diretor sensível, que tem lá suas características, mas que sabe transitar sobre as diferentes linguagens.
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Não acho que os curtas são marginalizados pelos cineastas. Mas é muito mais difícil  sobreviver fazendo curtas, pela dificuldade na distribuição e da captação de recursos... 
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Vou começar a co-dirigir um documentário, não propriamente um curta... mas se aparecer uma boa ideia, vamos lá....

Nenhum comentário: