terça-feira, 10 de abril de 2012

O SER Ator - Maísa Magalhães

Pensando numa pergunta que uma jornalista me fez esses dias, sobre qual seria a função do ator na sociedade,comecei uma reflexão e mais uma vez refleti sobre um pensamento de Stanislavsky ,que diz que “para ser um grande ator, antes é preciso ser um grande ser humano”. E esse grande ser humano é o ser ator nessa sociedade. O ator tem que ser admirado e realmente fazer diferença com seu trabalho ou presença.

E começando pelo trabalho. Como ser capaz de mudar rumos com sua arte, de ter um personagem lembrado pra sempre por uma pessoa qualquer, de ser capaz de tocar no mais duro e frio coração e o amolecer, de provocar uma reflexão alheia sobre o que foi mostrado numa peça ou filme? Sim, é esse o maior desafio e a maior conquista de um ator.Ser capaz de SER-humano dentro de um personagem,”brincar de ser Deus” e criar essa vida interior de um espírito humano e assim passar a verdade na ação. Atuação é o momento de entregar-se, e não de jogar um texto decorado ou apresentar clichês.

Na vida em sociedade, o ator tem o papel de conhecer a alma humana, se despir de qualquer preconceito, ver a beleza em todos e trabalhar a empatia. Se não convive e divide seu espaço social com pessoas de diferentes crenças, gostos, hábitos, então como poderá interpretar um personagem ou assimilar um texto que envolve culturas e personalidades diferentes da que esse ator vive? Não saberá viver um personagem completamente. A base da atuação é sim o auto-aprimoramento como indivíduo. É se expandir, é amar o ser humano,é não julgar.E ser ator é ser generoso,porque sozinho o seu trabalho é nulo.O ator precisa do diretor,do roteirista,de toda equipe e também de outros atores. É ilusão querer ser individualista nessa profissão. A Arte deve envolver.
Você provavelmente já saiu de um filme ou peça pensando “nossa, eu me vi naquele personagem” ou “esse filme mudou minha vida”.

E o poder de um filme ou peça de provocar quem assiste não pára aí. Muda também quem o faz, que é o ator. Sinto que cada personagem que faço ,me muda como pessoa desde o momento que começo as pesquisas pra conhece-lo.Me faz compreender melhor as diferentes personalidades,a aceitar melhor os defeitos e limitações de cada um e ver beleza onde antes passava despercebido.

Sendo atriz, conheço as mais diferentes vidas: do pobre ao milionário, da executiva à prostituta, da mimada à mal tratada. Sem preconceitos. Acho importante e gratificante ter amizades com pessoas completamente diferentes de mim, em todos os sentidos. E somente entendendo o outro, consigo passar a verdade e chegar ao que vejo como função do ator na sociedade: envolver as pessoas não só com sua arte, com sua presença.

Maísa Magalhães é atriz e colunista do blog do Os Curtos Filmes.
Informações sobre a artista em:
www.maisamagalhaes.com.br

Um comentário:

THÉKO disse...

parabéns !
ótimo texto retrata muito bem " o ser" ator !