sexta-feira, 1 de julho de 2011

Marco Del Fiol



Marco é diretor, roteirista e editor de documentários e longas- metragens. Assina a edição e coordenação dos DVDs Nomadismos: homenagem a Waly Salomão e desde 1999 colabora com a ONG Cedac nos vídeos do Programa Escola que Vale, da Fundação Vale do Rio Doce. É professor de edição e câmera da Miami Ad School de São Paulo.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
A ideia e a equipe.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
A oferta de filmes é imensa, a crítica mal dá conta de comentar todos os lançamentos, sejam no circuito de salas de cinema, no mercado de DVDs ou nos canais de TV. E olha que esses produtos têm assessoria de imprensa. Não dá pra ser inocente e achar que os curtas algum terão o mesmo espaço que os longas na imprensa.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
A internet é a casa do curta. Acho que o youtube e o vimeo são canais maravilhosos para essa produção. Hoje temos quase 100 festivais de cinema no país, eles servem de vitrine para os curtas, para serem vistos pelos profissionais da área, mas para comunicar com um público maior a internet é imbatível. Ano passado o Vimeo fez o seu primeiro festival e a qualidade dos curtas é muito alta. Quem produz curta hoje não pode ficar pensando só em sala de cinema.

É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Se você toma o mistery guitar man como um produtor de curtas a resposta é sim. ë possível ser um cineasta de só de curtas e viver disso. Se você considera que curta é algo feito para sala de cinema, a resposta é não, a não ser que você viva de renda.

O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
O filme bom, curto, médio ou longa sempre é respeitado. Acabei de lançar um telefilme de média metragem, "Segundo movimento para piano e costura", que foi exibido na TV Cultura. As questões para os médias são muito parecidas com as do curta, talvez existam mais possibilidades de venda para canais de TV.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Estou dirigindo um curta documentário sobre inclusão de alunos com deficiência física ou intelectual em escolas da rede pública e particular.

Nenhum comentário: