terça-feira, 19 de julho de 2011

R.F.Lucchetti


RIBEIRÃO PRETO: CENTRO DO CINEMA DE ANIMAÇÃO DO BRASIL

Texto de Vasco Granja

Esta sessão despertou tanto interesse no escultor e cenógrafo Bassano Vaccarini e no estudioso de cinema de animação Rubens Francisco Lucchetti que levaram ambos a fundar o Centro Experimental de Cinema de Ribeirão Preto.

Nas primeiras experiências efectuadas no Centro utilizou-se uma velha película de dezesseis milímetros já usada e à qual se raspou a emulsão gelatinosa. O resultado obtido, cem pés de película desenhada, deixou incrédulos os seus autores: Lucchetti e Vaccarini. Meses mais tarde tinham concluído o seu primeiro filme, ‘Abstrações’, que reún quatro estudos com a duração total de dezessete minutos. Após a conclusão desde ensaio surgiu o problema da sonorização. Foi Milton Rodrigues quem o resolveu, gravando em fita magnética um acompanhamento musical integrado no tema abstrato.

Outra experiência tentada por Lucchetti e Vaccarini foi ‘Fantasmagorias’, movimentação de um quadro estático que representa uma fantástica paisagem noturna, filmada em grandes planos, planos de conjunto e panorâmicas. O filme inicia-se com imagens da materialização de um fantasma sobre o pântano, outro que sai do interior de um vaso e regressa ao mesmo, materialização de dois estranhos pássaros que são desintegrados por misteriosas explosões, enfim, toda uma série de fatos fantásticos acontecem sobre a paisagem, até que clareia o dia e tudo volta à tranqüilidade.

Um projeto que está a ser testado é ‘A Sombra’, inspirado num conto de Edgar Allan Poe. O filme será dividido em duas partes: a primeira, representando a cidade de Prolemeis, com as suas ruas desertas e melancólicas; a segunda, a sala onde se desenrolará o drama. O clima desse filme será obtido a partir de movimentos da câmera cinematográfica e tudo deverá ser feito de modo a que o espectador sinta que está vendo uma história movimentada, quando na realidade é apenas composição de quadros estáticos. Durante o desenrolar da história ouvir-se-á o narrador contando o que se passou na terrível cidade de Prolemeis.

Para que a voz sincronize perfeitamente com a imagem, por exemplo, no momento do narrador dizer: “No espelho que o seu brilho formava sobre a mesa de ébano, cada um de nós revia a palidez do próprio rosto”, a câmera enquadrará a mesa onde se refletem, mostrando-as uma por uma, sucedendo-se os grandes planos alternados, sem panorâmicas. Os dois cineastas de Ribeirão Preto entendem ainda realizar ‘Cosmos’, fantasia de cores e formas gravadas na película preparada com uma solução leitosa e sobre a qual irá derramando tinta liquida de várias cores ao longo do celulóide em ação continua, desprezando o limite do fotograma.

Ao realizar estas experiências numa pura base artesanal, Lucchetti e Vaccarini escolheram o caminho mais difícil do filme animado, pela diversidade e complexidade dos problemas defrontados. Mas certamente que os saberão resolver com a paciência e a confiança inerentes aos cineastas da animação.

Nenhum comentário: