sexta-feira, 8 de junho de 2012

Ari Cândido

Ari cursou cinema na Universidade de Brasília. Em 1971, ameaçado pelo artigo 477 da Lei de Segurança Nacional, partiu para a Suécia. De Estocolmo foi para Paris, onde, à partir de 1975, continuou sua formação em cinema na Nouvelle Sorbonne. Seu primeiro curta, ‘Martinho da Vila Paris 1977’, capta a passagem do sambista carioca por Paris. No Brasil, realizou mais três filmes: ‘O rito de Ismael Ivo’ (2003), retrato biográfico do bailarino negro; ‘O moleque’ (2005), ficção baseada num conto do escritor Lima Barreto; e ‘Pacaembu, terras alagadas’ (2006), documentário sobre o bairro paulistano. Reconhecido ativista da comunidade negra, Ari Candido coordenou o Projeto Zumbi e foi um dos idealizadores do Dogma Feijoada – movimento cinematográfico disposto a questionar os estereótipos e o modelo perverso de representação do negro veiculados pelo cinema e pela TV.


Qual é a importância histórica que o curta-metragem tem no cinema brasileiro?
Enorme. Vamos tentar medi-la?Só pra ser mais recente em 1978 a Resolução 52 da Concine votou (mas o que valeria o voto ainda na Ditadura  de 78 não é mesmo?)de  que o curta-metragem deveria acompanhar um longa nas salas comerciais...Quem cumpriu??Alguns exibidores ao pé da letra até sim,só que apenas para "cumprir e encher linguiça" a recomendação do Concine! Na redemocratização do País  então que vem junto com a ANistia de 79 em diante ...a coisa esfarelou-se no pó da esteira do Brasil - que tava certo em seu bojo e anseio popular- primeiro DEMOCRACIA E DEPOIS ESSES ITENS CORRELATOS DELA  VIRIAM PER SI SÓ!!! Que nada...estamos em 2010 findando e batemos na mesma tecla...porque não foi comtemplada e nem levada a ferro e fogo tanto pelos órgãos governamentais,paralelos,sindicais e mesmo pelos cineastas em si!!Verdade seja dita né?

Mas uma coisa mudou....alguns nem aperceberam-se disso...E olha que não vou botar a culpa no"povo"telespectador não?!O curta-metragem brotou de tudo que é lugar dos rincões brasileiros urbanos ou não...ou seja em 'terra que adubando dá,tudo deu!'Olhe só....um exemplo: o nosso próprio-nesse 2010 que finda-se ...consegui ir para alguns festivais de cinema nacionais e internacionais. O de Los Angeles-LALLIF 20910-mesmo- colocou na tela do Boulevard Hollywood- nas salas do complexo onde reúne-se o 'glamour' mundial puxadas pelo carro chefe da sala Kodak Theater - onde é feita a entrega do Oscar, com certeza portuguesa não é mesmo? Visionou curtas-metragens do mundo latino- especialmente mexicanos(pela proximidade da  violenta fronteira da mesma com os EUA-contou com até a presença do prefeito de  LA que leva por decorrência dessa maciça presença mexicana -nome americano-mexicano !) mas de todo o continente Latino!e não é que tivemos 3 curtas-metragens brasileiros-corajosos defensores do curta....brasileiro em LA- já que foram escolhidos 5 longas-metragens brasileiros - e os curta metragens não receberam nenhum apoio nem pra copias legendadas em inglês, nem pra nada- exceto uma passagem(Ari Candido-com Jardim Beleléu=Heaven garden) não da ANCINE ou do MINC e seus respectivos departamentos de cinema- mas sim  do Ministério de Relações Internacionais -Itamaraty - DEPTO DE AUDIOVISUAL !!?E aqui não vai nenhuma critica aos órgãos citados acima é apenas para CONFIGURAR- o espaço reservado ao curta-metragem, Que floriu muito nos últimos anos em sua produção,qualidade e visualização nacional e internacional- é que infelizmente ainda não "fala grosso"-tanto para os dirigentes do cinema nacional ao nível governamental- tanto para os próprios cineastas e sem falar nos içados atuais  coordenadores e curadores de inúmeros festivais de cinema nacional!!!!Exemplifico: alguns cineastas de longa-metragem (como se o longa-metragem lhe desse credencial para tal):esperneiam e gritam nas barbas expostas do INC e Órgãos do Cinema Governamentais e até chegam a intimida-los...quando gritam por copias,passagens e hospedagens para festivais e mostras internacionais,,,já os curta-metragistas com se fossem do clero baixo....ficam gritando...até cansarem ou ficarem roucos...de raiva!!!Bom pra fechar esse item...O que vi em LOS ANGELS no LALLIF 2010-Los Angeles Latino Film Festival (com salas lotadas e ingressos vendidos!!!)foi melhor em conteúdo,estética e emoção e denuncia algumas até mesmo singelas...do que vi em longa-metragem! Desforra?Recalque?!Inveja acobertada?!Alma lavada!Que nada foi a pura verdade que meus olhos ,mentes e alma presenciou e saiu-se gratificada! E mais : pelo que vi nesse Brasil de Festivais,Mostras de 2010 emito a mesma opinião. Sem nenhum ensejo beligerante de nossa parte. Apenas :constatação pra que tem olhos, ouvidos, tino histórico e percepção além dos umbigos. E nem consultei ainda o 'povo telespectador'- e olha HEIN?!que curtas estão chegando em formas e vias variáveis à eles...sejam em pontos de cultura, festivais, mostras, encontros, oficinas, etc...

Critica: alguns filmes ditos de longa-metragem independente do gênero, etc... deveriam ficar...como curtas-metragens ou no máximo médias....Coisa mais chata do mundo do audiovisual é alguém ter a coragem de dizer que: Puxa, não precisa encher/esticar tanto...que a narrativa perde até seu impacto e esfarela-se num “auto-comtemplo’-logo: virei cineasta de longa metragem !´fácil não é mesmo?!vale o inverso pra curta metragistas: coisa mais chata desse mundo é alguém virar pra ti e dizer:Puxa, bem que podia ser um longa -metragem!! não é mesmo?!

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Porque é o reflexo direto do dito exposto acima. Mas que mídia poderia ajudar isso sim, porque não deve ser a dona contemplativa de tudo que está ai... só para ser comentado ou noticiado como fato,evento,etc...Não é mesmo, cutucão construtivo e formação/informação jornalística teria um belo papel à cumprir. Quem se habilita?!(além de enfrentar as pautas e pauteiros?)E já faz tanto tempo que a tecla incessante bate no mesmo ponto não?!Algo de novo poderia ser construído... pouco à pouco...mas sempre e com resultados a médio e longo prazo com certeza mesmo!

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Batemos sempre Na mesma tecla: porque não vinga?!Exibido antes e adequado com o tempo dos longas. Nas salas comerciais. E mais: na Tevê Aberta. Chega de ficar vendo apenas em Tevê comunitárias, publicas, TV Cultura, Festivais, etc... e em separado!!que casamento é esse que não dá certo? Então que façam-se sessões de vários curtas em tempo de longa metragens(ou seja acima de 60 minutos!) Respeitando os devidos espaços conquistados: O Festival de Curta Metragens de SP dirigido pela competente Zita Carvalhosa e o Festival Internacional dirigido pelo competente Leon Cacoff deveriam fazer um pré -matrimonio de ideia visando expansão nacional e latino incubadora?! não é mesmo? Nessa enorme Paulicéia que tá cansada de ser desvairada...cinematograficamente falando...

É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa
Sim pode... Relativo: Já vi muito cineastas das 2 pontas; curta ou longas quebrarem a perna em acrobacia. No entanto, que não arrisca não petisca ou vamos construir patrimônio como os rios que vão indo até desaguarem no oceano??Acho que foram os casos tanto de um Buenuel como de um Glauber Rocha não? Entre tanto outros...

O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas? 
Não, mas bem que poderiam sair desse auto = clube contemplativo e seguir o lema: que "tamanho não é documento até mesmo no basquetebol "e sim a extensão e força criativa de suas ideias...e algumas saibam distinguir: QUEM DITA O TAMANHO DA SUA OBRA É O TAMANHO DO |FOLEGO DE SUA IDÉIA E CRIAÇÂO e algumas   servem/acomodam-se  pra curtas e outras pra longas...E cineasta que se auto preze deveria responder sempre essa perguntinha básica, mas essencial....Porque corre o risco de ser atropelado ou perder o controle- pela sua própria narrativa=trocando em miúdos pela dinâmica do seu próprio filme (criatura!!) e estória....

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Futuro próximo não... Explico: Todo cineasta curta-metragista ou não, realiza seus "balanços" podem ser anuais ou cíclicos.. Alguns de tanto ciclos...acabam reavaliando o todo de sua produção e acúmulo de experiências e vivencias vividas cinematográficas. Alguns ainda lançam-se em toque de ou "agora ou nunca mais"...Será o caso do Arnaldo Jabor em seu último filme?!Não sei é apenas um palpite. É que o 'fôlego' cinematográfico é movido pela paixão nos projetos e idéias que conseguiram chegar a tela- (ou então contenta-se acanhadamente  na telinha de TV ou mesmo visionado em alguns festivais e até Cineclubes ou Mostras Paralelas...até mesmo em ditas retrospectivas...) -ou seja "deram as caras=deram a luz"! Nos projetores...em salas!

Algumas ideias e projetos ficam pelo caminho, diluem-se no tempo e espaço: " e alguns projetos morrem por si só...não envelhecem ,mas morrem simbolicamente.

Existem projetos que continuam latentes/pululantes  na alma dos cineastas...convivem em  "nossos espíritos"... alguns até conseguem sem nenhuma maldade de outren's serem literalmente abordados por outros cineastas, sejam nacionais ou não. No momento tô "acertando contas" com o passado porque de tanto calejar um sonho antigo- (apesar de alguns cineastas desejarem e "rodearem o” tema desse sonho - que aconteceu há mais de cem anos no Brasil) - -o de realizar meu primeiro filho /filme de longa quilometragem ou seja longa-metragem brasileiro- o roteiro já faz tempo está "germinando" assim como a pesquisa do tema-que é histórico no Brasil e somente agora que o mesmo completa mais de um século de ter acontecido e que tenho calejado por mais de 35 anos é que: sinto-me pronto e preparado para esse desafio...que ´só de pensar aqui nas imagens e interpretação e desenrolar plástico do mesmo'- dá me calafrios- aliás é esse o nosso fogo-fátuo- que nos alimenta ) ...não de medo, mas de prazer - ao deslumbrar em meu quarto sagrado e de segredos da 'cabeça e alma'.

E o melhor disso tudo : é que agora sim com patrimônio acumulado avaliado -graças ao exercício de realizações de curtas-metragens - Não porque é curta!!!..é que a História e  Estória não cabem num feixe luminoso só  e nos   limites da fronteira espacial do curta - metragem- por isso tem que ser um  longa metragem!

E sinto-me somente agora à 'altura' de carregar essa historia comigo e muitos outros - para leva-la até a tela e oferecê-la como um banquete digno de merecimento!! O tema??Não conto !! Mas todo dia sai algo sobre: -   na Imprensa, livros, etc....

Mas voltemos a vossa pergunta e resposta especifica: tenho 3 projetos de curtas-metragens que estão suspensos até que o futuro -queira vingar-se:

a)A fruta que chora uma lenda indígena lindíssima- que fala de uma fruta que chora....vermelho como sangue da vida!(de tanto participar de Editais  curta-ficção em que o projeto  não é comtemplado-protelei o mesmo, mas um dia....)

b)curta-metragem ficção: um curta baseado num poema fantástico do poeta Castro Alves...e por incrível que pareça uma linda história e estória de uma casal de negros escravos apaixonados no Brasil na época da chegada da família real ao Brasil!...que preferem à morte e assim o fazem nus e entrelaçados!! - já que na realidade não lhes foi permitido/concedido viverem esse amor mútuo....porque a linda mulher escrava  nesse caso fora perseguida e deflorada como "objeto possuído  do prazer do filho de um senhor real de escravos"!!!....(qualquer comparação à atualidade de mulheres nessa situação na atualidade como trabalhadoras ou filhas rurais e ou urbanas ou domésticas "...é mera e simples coincidência...!!!?....)

c)projeto de curta-metragem mescla de ficção e documentário plástico inclusive como uma forma inovadora  de "clip" musical- que unirá 3 cantoras jovens(todas muito jovens e talentosas demais da conta afro-brasileiras:  

- uma de Imperatriz no Maranhão...

- outra nascida na em meio da guerra na Angola-África mas de pai do recôncavo baiano!!Que por incrível que pareça o mundo a geografia e os sonhos vem de família de ex-escravos angolanos - que nessa região Bahia do Recôncavo do massapê onde  é abundante e farta: por ter recebido a maior parte de escravos angolanos no Brasil colonial!!

- e a terceira: filha de um eminente músico brasileiro e um dos maiores percussionistas brasileiros vivo que conheço há mais de 40 anos- e da região de Minas Gerais.

Novidade disso tudo??!: Reuni-las (reuni-las) num filme plástico e com imagens das regiões, sonhos, cantos, sons e intimidade reveladora entre as 3 que não se conhecem entre si!!!Que serão "descobertas individualmente "em breve pelo mundo musical .E que esse  filme( o filme e não Eu) seria pré-catalizador e revelador profético de suas trajetórias ,mas que no filme estariam plasticamente reunidas em dose TRIPLA!!

Portanto, eis ai minha resposta, dá pra vislumbrar que esse futuro também triplo de curta = metragens...estão meio "engasgados" em minha alma e paixão latente e quiçá venham  a se realizar - num futuro pretérito!!...quem sabe?!

Nenhum comentário: