sexta-feira, 1 de junho de 2012

Gláucia Davino

Gláucia é coordenadora geral do projeto de pesquisa Historias de Roteiristas, com apoio do Mackpesquisa.

Qual é a importância histórica que o curta-metragem tem no cinema brasileiro?
O curta metragem faz parte da historia do cinema brasileiro e já foi até um formato de exibição obrigatória por lei, antes do filme de longa. Nos anos 80, o curta-metragem significou uma grande porcentagem da produção nacional, com propostas estilísticas diferentes das herdadas do Cinema Novo e que culminou no despontar de nomes que hoje se destacam na cinematografia de ficção, documental e mesmo nas produções televisivas. A tese da montadora e professora da ECA, Vânia Debs, é um estudo sobre a produção de curtas metragens que marcaram o perfil desta época. Sua importância se deve a vários fatores: 1. é um formato legítimo (previsto em lei); 2) tem espaços alternativos para exibição; 3) há festivais específicos para o formato, no mundo inteiro; 4) serve para o artista se construir como autor e para se deparar com críticas que o farão crescer; 5) é sintético e a TV poderia absorver....

Como enxerga a questão dos roteiros nos curtas? Como é trabalhar com a síntese?
O roteiro do curta metragem tem que ser pensado tão atentamente quanto qualquer outro trabalho em audiovisual. Isso não significa que ele precisa do mesmo tempo de elaboração do que um longa, não. Ainda é bem menos comum o roteiro de curta ser escrito por um profissional que não dirigirá, por motivos diversos: um deles é a possibilidade de experimentação - a síntese temporal de projeção é uma delas; outro é a questão financeira, etc.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Os curtas têm atenção e espaço em crítica de jornais e mídia!!! É só pedir para que os curta metragistas lhe mostre as matérias que saíram sobre os festivais que participaram. Eles terão uma pequena coleção. Esse tem sido o espaço do curta.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Porque o curta precisaria de mais público? Qual é efetivamente o público alvo dos curta metragistas? De qualquer forma, os festivais o fazem com grande força. Por outro lado, a TV e, principalmente, internet são as outras formas mais rápidas. A internet, hoje, é um repositório (com acesso) a muitos curtas-metragens!

É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Se esse é o objetivo do cineasta....Ou se ele ainda não conseguiu dar o salto para o longa, ele continua no curta. Parece uma questão mais de oportunidades do que uma escolha. Ele, por exemplo, pode não ir para um longa mas sim para uma série televisiva, continuar com curtas. Também há a questão do gênero. Tem gente que gosta de fazer documentários na categoria curta metragem. Creio que nada pode ser considerado congelado e estático, o cineasta é um criador nos diversos formatos.

O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
De modo algum! O curta pode bombear mais sangue no cinema nacional, como já aconteceu e continua!!!

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Não.

Nenhum comentário: