quinta-feira, 29 de maio de 2014

Fernanda Viacava

 
Atriz. Em cinema, atuou nos longas 'Caju com Pizza', direção de Francisco Ramalho; 'Uma Noite em Sampa', direção de Ugo Giorgetti; 'Do Lado de Fora', direção de Alexandre Carvalho; ' Amador', direção de Cristiano Burlan; 'Salve Geral', direção Sergio Rezende; 'O Menino da Porteira', direção de Jeremias Moreira; 'Quanto Dura o Amor?', direção de Roberto Moreira; 'Domésticas – O Filme', direção de Fernando Meirelles e nos curtas: 'O Espelho', direção de Gustavo Raolino; 'O Homem do Saco', direção de Bruno Primor; 'Calíope', direção de Helena Guerra; 'O Controle do Zumbi', direção de Gabriel Marzzinoto; ' De Resto', direção de Daniel Chaia, entre outros.
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
O roteiro, o diretor e as pessoas envolvidas.
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público? 
Sessões específicas, com exibição de vários curtas como aquelas que tinham no Unibanco, o ‘Curta às Seis’.  Só que em várias salas de cinema.
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Sim, mas acho que como tudo que fazemos, temos sempre vontade de crescer, assim acho que os cineastas que começam fazendo seus curtas, depois de algumas experiências,  tem vontade  de contar uma história mais longa.
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Acho que não.
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Não. Prefiro atuar.

Nenhum comentário: