terça-feira, 6 de maio de 2014

Francisco Brêtas

 
Ator e dublador. Está na área desde o final dos anos 1980. Seus trabalhos mais conhecidos são Hyoga de Cisne em ‘Os Cavaleiros do Zodíaco’, Kaioshin em ‘Dragon Ball Z’ e Capitão em ‘Os Pinguins de Madagascar’. É conhecido também por ter dublado Jim Carrey em ‘O Mentiroso’. Atuou em ‘Os sete Sacramentos de Canudos’.  
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Qualidade de roteiro e relevância do personagem.
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
A mídia em geral se ocupa com que tipo de notícias? O dia em que Cultura nesse país receber a devida atenção, poderemos começar a nos reconhecer em nossos pensadores e artistas.
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Alguns cinemas possuem sessão especial para curtas. Isso já é uma forma de chamar a atenção do público em geral. Houve uma época em que era obrigatória a apresentação de curtas antes das sessões normais de cinema. O que se viu foi muita produção de baixíssima qualidade. O que é bom aparece, mas concordo que é preciso haver maior visibilidade.
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Acho que é do interesse de qualquer cineasta (de curtas ou não) ter mais tempo para expor e desenvolver seu trabalho. Curta ou não, a linguagem do cinema é a mesma.
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Imagino que não. Que grande cineasta, não começou dirigindo um curta?
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Gostaria de estudar e aprender e aí depois, quem sabe?

Nenhum comentário: