terça-feira, 6 de março de 2012

Murilo Salles

Murilo é cineasta, diretor de fotografia e roteirista. ‘Premissa Menor, Primatas, Amém’; ‘Abc Montessoriano’ e; ‘Sebastião Prata, ou bem dizendo, Grande Otelo’ (documentário de curta metragem).


O que te faz aceitar participar de uma produção em curta-metragem?
Não sei... talvez o Projeto, a ideia, o conceito. Curta Metragem é um bom espaço para a experimentação...

Você sente alguma diferença de satisfação profissional entre fazer cinema e TV?
São coisas inteiramente diferentes... inclusive o genérico: fazer TV não existe! O que existe em TV é: dirigir uma novela, um programa de esporte, ser o jornalista responsável pelo Jornal Nacional. Dirigir o programa da Angélica. Isso não tem nada ha ver com fazer cinema.

Por que os curtas não tem espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Porque eles não passam em lugar nenhum além de Festivais!

Como deveria ser a exibição de curtas para atrair mais público?
Deveria “existir” a exibição... Não existe! Não sei porquê?!...

Considera o curta-metragem um trampolim para fazer um longa?
Sim.

Dá para o cinema nacional sobreviver sem subsídios?
Absolutamente não dá!

O que é necessário para vencer no cinema?
Ser uma pessoa com determinação, garra e talento para a coisa. Igual a qualquer outra profissão...

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Pode ser sim, encarado como um espaço de experimentação narrativa seria MUITO bom!

Nenhum comentário: