segunda-feira, 19 de março de 2012

Pollyanna Ferrer

Pollyanna é atriz. Têm anos de estudo nas técnicas da interpretação e peças dirigidas por: Élcio Nogueira, Renato Borghi e Paroni de Castro, "Admirável Mundo Novo" (2008/09); Christina Trevisan, “O Provedor” (2008); Benné “A Flor da Amazônia”(2007); Lívio Tratemberg, “A Balada do Deus Morto” (2006/07); e Nill de Pádua, “Recital Morte em Portugal” (2005). Ainda 2008 Dramamix, nas Satyrianas, com “COINCIDÊNCIAS MORTAIS” de Marcos Vigani e, 2009, participação no documentário "Duplo Território", de Rogerio Corrêa e Leão Filmes.



O que te faz aceitar participar de uma produção em curta-metragem?
Sou apaixonada por cinema e o começo de toda história está na criação de curtas. Aí que nasce grande parte de ideias e idealizadores da sétima arte. Após conhecer melhor a agilidade de ideias num curta, fica difícil não ter prazer numa boa sessão do Kinoforum, Mix Brasil e todos festivais e mostras de curta-metragem.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Os curtas estão fora da grande mídia por conta da dificuldade numa captação financeira. Falta de investimento, mesmo. Um investimento financeiro e cultural, na criação de hábitos em vê-los.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
O curtas devem iniciar os longas, como já ocorre no Cinesesc e no Espaço Unibanco, mas em todas as salas brasileiras. Mais festivais, mostras, com melhor divulgação e amplitude de salas. O que "bombaria" seria iniciar os longas das tvs abertas com um "belo" curta.

É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
É possível fazer somente curta, mas o bacana da arte é a amplitude de ideias e a abertura aos riscos.

O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Vejo só paixão dos cineastas e atores pela produção de curtas. Curta é uma forma de troca de conhecimento e novas ideias em minutos. Tem melhor?

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Quem sabe um dia eu tenha meu curta, mas meu prazer e paixão é invadir idéias e mentes alheias.

Nenhum comentário: