sábado, 6 de outubro de 2012

VAGA IDEIA


Amor Estranho Amor: 30 anos depois
 
O tempo passou, e neste ano completa-se trinta anos da primeira exibição do polêmico filme "Amor Estranho Amor" (1982). Á época do lançamento, não houve tanta repercussão, o filme passaria batido ao longo da história, pois assim como tantos outros, não tem nenhuma característica que o tornaria um clássico. Muitos filmes foram produzidos, todos assistidos (por pouco ou muito público), mas quase todos eles passam, são poucos os que ficam.
 
Se acessos na internet valessem como bilhetes, talvez “Amor Estranho Amor” seja hoje o filme mais assistido de todos os tempos.  Marcelo Ribeiro, uma criança á época, não prosseguiu a carreira de ator. É ele que, ao lado da Xuxa, protagoniza as cenas sensuais mais assistidas da história do cinema nacional. O drama se popularizou pela Internet como um pornô, ainda que esta seja uma reputação completamente controversa.
 
Entre diversas passagens do filme dirigido por Walter Hugo Khouri (1929-2003), a eterna rainha dos baixinhos se deita nua sobre Ribeiro e diz frases como "logo você vai virar um gurizão, mas desde já você já é um sabonetinho" e "eu sou uma ursinha macia, olha como eu sou macia". O filme saiu quase completamente de circulação após decisões judiciais em favor da apresentadora, que adquiriu os direitos do filme e tolhe a sua circulação. A internet disponibiliza fragmentos e em alguns sites podemos assisti-lo na íntegra. Recentemente Aníbal Massaini tentou reaver os direitos do filme, alegando que Xuxa não tinha renovado o direito de compra dos direitos da película.
 
Toda e qualquer noticia que gira em torno dessa produção rende polêmica. Recentemente Marcelo Ribeiro disse que estava escrevendo um livro sobre a experiência. Na obra, detalharia sua filmografia --composta por "Eros, o Deus do Amor" (1981), "Amor Estranho Amor" (1982) e "Pecado Horizontal" (1982). Bastidores da aventura com a rainha dos baixinhos, é claro, serão incluídos.
 
Ribeiro participou de um teste com 500 meninos para o filme "Eros, o Deus do Amor" (1981), de Khouri, em que fez cenas sensuais com Kate Lyra. Khouri notou a repercussão que o filme teve por usar uma criança e resolveu escrever o filme "Amor Estranho Amor".
 
“Amor” foi o primeiro filme de Xuxa, ela faz praticamente uma figuração. A estrela principal era Vera Fischer, que ganhou no Festival de Brasília, prêmio pela sua atuação no filme.
 
O primeiro cartaz de porta de cinema era uma foto de Ribeiro com braços cruzados segurando uma foto que representava um útero remetendo à história de Édipo e Jocasta. Quando a Xuxa começou a fazer sucesso na [extinta] TV Manchete e foi consagrada como "rainha dos baixinhos", a produtora mudou a linha de divulgação do filme. Colocaram Tarcísio Meira, Íris Bruzzi, Vera Fischer e Mauro Mendonça vestidos e a Xuxa nua no meio. Foi aí que começou a ser o filme da Xuxa.
 
Em 2007 a produtora ‘Brasileirinhas’, atenta ás noticias, mitos e polêmicas em torno desta produção,  lançou “Estranho Amor”  e trouxe como protagonista o próprio Marcelo Ribeiro, numa referência óbvia ao clássico dos anos 80.
 
A cena polêmica de Tâmara, o personagem fictício de Xuxa –é arte, não é pedofilia, é uma das cenas mais antológicas do cinema nacional. Xuxa atua com esmero. O menino Hugo, personagem de Marcelo Ribeiro, idem.
 
Considerar qualquer atentado à moral ou pedofilia no filme é um erro, Xuxa teve um grande momento, talvez seu melhor momento, superando o preconceito que havia com modelos que atuavam na tevê e no cinema.
 
Xuxa havia conseguido interditar a saída do filme em vídeo, nos anos 1990, que poderia representar certo perigo a sua imagem de “rainha dos baixinhos”, Não me parece que o essencial fosse o fato de abalar uma imagem de “fadinha”, mas, ao contrário, escancarar o fato de que a “rainha” era extremamente erotizada, o que contribuía, aliás, para o sucesso do programa também entre os adultos. Interditar obras de arte ou trabalhos intelectuais, quer gostemos deles, quer não, é um absurdo.
 
Rafael Spaca, radialista, autor do blog Os Curtos Filmes (http://oscurtosfilmes.blogspot.com/).

Nenhum comentário: