domingo, 4 de agosto de 2013

Djair Guilherme

Ator, cenógrafo e dramaturgo.
 
O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Principalmente o roteiro. A segunda coisa que conta, é a oportunidade de treinar um pouco a interpretação para o cinema, que é coisa bem diferente do que venho fazendo no teatro.
 
Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Porque as grandes distribuidoras não se interessam em fazer o mesmo "jabá" que fazem para as grandes produções.
 
Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Que tal se fosse na TV, nos intervalos das exibições de cinema americano? Tipo, intervalo do Supercine, Telaquente, etc...?
 
É possível ser um cineasta só de curta-metragem? Vemos que o curta é sempre um trampolim para fazer um longa...
Não sei responder isso.
 
O curta-metragem é marginalizado entre os próprios cineastas?
Sim. Nesse caso, parece que o curta é o longa de pobre.
 
Pensa em dirigir um curta futuramente?
Não. Meu negócio é atuar, não dirigir.

Nenhum comentário: