segunda-feira, 1 de junho de 2015

Bia Sion


Atriz. Na televisão atuou em “Detetives do Prédio Azul”; “Tapas & Beijos”; “Lara com Z”; entre outros.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Olha, eu fiz poucas participações, geralmente por amizade e por adorar cinema.

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Sempre divertidas e criativas.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Talvez porque considerem algo sem muita amplitude, mas tem obras incríveis em curta-metragem, sinceramente não saberia responder ao certo o porque.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Como eram antigamente, antes da exibição dos longas-metragens, era obrigatório passarem os curtas e cheguei a ver ótimos filmes.

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Com certeza! Existe uma liberdade para criar e ousar.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
Depende, é uma experiência, um trabalho como outro qualquer, mas nenhuma garantia de nada, como em tudo na arte. 

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Trabalho, talento, insistência, determinação e criatividade.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Não, gosto de atuar, nunca pensei em dirigir.

Nenhum comentário: