segunda-feira, 1 de junho de 2015

Candido Damm


Ator e diretor teatral. Em cinema atua em "Bar Esperança", de Hugo Carvana; "Ópera do Malandro", de Ruy Guerra; "Romance da Empregada", de Bruno Barreto; "Quem matou Pixote?", de José Joffily; "O Xangô de Baker Street", de Miguel Faria; e "Estorvo", de Ruy Guerra.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Um bom roteiro, seriedade do cineasta, um personagem compatível com minhas qualidades de ator, camaradagem.

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Inúmeros, formandos da UFF, da Estácio, vi cineastas nascerem, filmes inacabados, trabalho sem remuneração, só empenho e ralação e muita, pouco resultado, pois a exibição por aqui sempre foi muito difícil.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Talvez por não terem o formato do consumo, só aparecem em festivais, mostras, ou quando juntam três curtas e exibem como um longa. O curta sozinho é muito desprotegido, fadado ao ostracismo.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Como antigamente, um curta antes de cada filme longa obrigatoriamente, e uma lei que obrigasse as TVs abertas e a cabo de exibirem ao menos os mais notáveis.

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Não só, com a facilidade tecnológica e diversidade de produções, o uso de vídeo ao invés de celulose, o que barateia, acho que o formato longa-metragem também é.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
Se der muito certo pode ser que seja a forma de se alçar voo mais alto. Sim.

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Ser diferente, fazer algo novo, acho que em qualquer área, inclusive nas artes, quem fizer a diferença sai ganhando. A gente gosta de piada conhecida, mas também gosta do que nunca pensou que veria, de surpreender-se!

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Sim, tenho muitas ideias e roteiros apontados, preciso de apoio logístico e financeiro que proporcione o mínimo de condição para tocar meu barco.

Nenhum comentário: