quarta-feira, 29 de abril de 2015

Dídio Perini


Ator e diretor teatral formado pela Escola de Teatro Ewerton de Castro, em São Paulo.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Quando é uma produção bacana e atraente não precisa de muito esforço... (risos)... além do projeto, tema e equipe envolvida, é claro.

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Pô cara, todo ator, principalmente quando está começando, recebe convites de alunos de Comunicação pra participar de curtas...não foi diferente comigo... acumulei alguns trabalhos e acabei conhecendo pessoas bacanas... daí pra frente as coisas começaram a acontecer...mas faz tempo que eu não faço...fica a dica...(risos)

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Creio eu que para a "grande mídia" os curtas-metragens não tem valor de mercado...só quando rola um festival do gênero eles colocam no rodapé da página...

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Hoje eu acho que a internet tem um grande poder de divulgação. talvez um canal na web, sei lá...o legal que hoje existe um canal chamado ‘Curta!’, talvez alguma porta esteja abrindo...apesar de ser um um canal fechado (pago)...

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Com toda certeza! Ali você pode libertar os seus demônios!!!!

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
Não. Até agora não fui chamado pra nenhum...(risos)... estou brincando... talvez sim, cara. Tudo depende do seu trabalho, da qualidade do curta...

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Talento, vocação, dom e muita, mas muuuuuuita paciência...

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Pode ser...se rolar um convite...

Nenhum comentário: