sexta-feira, 8 de maio de 2015

Alexandre Iagobucci


Ator. “Corpo Roubado”; “Brother Bruce”; e “Práxis” foram curtas-metragens que ele atuou.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
No primeiro curta-metragem que participei, o que me levou a aceitar o convite, sinceramente, foi a oportunidade de conhecer a linguagem cinematográfica e incrementar meu currículo.

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Meu primeiro curta-metragem foi “Corpo Roubado” (2012) produzido pela AIC ( Academia Internacional de Cinema). Foi uma experiência fascinante! Minha formação é no teatro e com esse trabalho descobri uma nova técnica de interpretação que é muito diferente do teatro! Fiquei apaixonado! Depois participei de mais dois curtas: “Brother Bruce” (2013), pela AIC e “Práxis” (2013), pela Oficina Cultural Hilda Hilst de Campinas. Foram dois trabalhos que só me confirmaram que realmente o cinema é o que eu sempre imaginei que fosse... fascinante!!! Atualmente estou em busca de um bom curso de interpretação para cinema. Quero muito entrar nesse mercado.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Acredito que seja pelo fato de os curtas-metragens, geralmente, serem produzidos por estudantes, seja de cinema, de publicidade ou outras áreas, e isso causar a impressão de serem produções amadoras.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
A televisão ainda é o meio mais eficaz de se atingir a massa. Acredito que, se a televisão abrisse esse espaço para as produções de curtas metragens, com certeza um público muito grande começaria a se interessar pelos curtas-metragens.

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Sim. Com certeza!

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
No que se refere a experimentação, sim. Mas acredito que para se produzir um longa-metragem, antes de mais nada, é preciso dispor de uma grana bastante considerável.

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Acho que uma boa ideia, entender da linguagem e grana.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Não. Quero mesmo é estudar muito na minha área que é atuação.

Nenhum comentário: