segunda-feira, 25 de maio de 2015

Eliot Tosta


Ator. Atuou em vários curtas-metragens, como: "Avalons", de Carlos Eduardo Nogueira; "O Segredo de Baumer"; "O Último a Morrer"; "Hotel Vegas"; "O Homem na Fossa". Também atua na web novela "O Legado".

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Um bom projeto, cachê, e trabalhar com amigos.

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Nossa, foram tanta emoções. (risos). Trabalhei em curtas muito profissionais e outros de alunos de faculdades que não sabiam o que queriam, ou brigavam durante as gravações. Acho que a experiência máxima que posso ter tirado é abstrair o que for que estiver acontecendo a sua volta e tentar desempenhar seu melhor trabalho, dentro daquilo que foi pedido. 

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Porque não tem publico, a não ser as pessoas da área. Se não há publico interessado em vê-los, não tem porque falar sobre eles.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Deveria primeiro mostrar a população o que é um curta. Creio que muita gente não sabe o que é nem para que serve. Digo isto por experiência própria, ao falar a alguém que estaria gravando um curta sou abordado pelas perguntas: Pra que serve? Passa onde? Mas só 15 minutos? E você vai fazer o que com isso depois?

Acho que a conscientização do que é um curta seria um grande passo. Ou um projeto que faça passar um curta antes de cada exibição de filme nos grandes cinemas.

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Sim, dentro da finalidade do projeto e que seja de comum acordo entre as partes.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
Todo trabalho bem feito pode abrir portas. E muitas vezes não depende só de você. Por isso que tem as famosas "panelas". Tem que ter confiança um no trabalho do outro. O diretor precisa do ator, assim como precisa do produtor, do editor, do som, do fotógrafo, da arte. Quando ha confiança, ha entrega, e o resultado sendo positivo portas podem se abrir para todos os envolvidos no trabalho.

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Monte sua "panela" e faça bons contatos. (risos)

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Já pensei mais sobre isso. Hoje penso que quero estar mais na frente das lentes. 

Nenhum comentário: