sábado, 7 de março de 2015

Cafi Otta


Datilógrafo, malabarista, contínuo, monociclista e palhaço

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Adoro estar envolvido com diversas linguagens. Já fiz curtas, longas, publicidade, ópera, musical, além de teatro e circo.

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
O que mais me chamou a atenção durante minhas participações nos curtas é a paixão de todos os envolvidos, o entusiasmo da equipe. E isso faz toda a diferença quando o cachê é baixo, as condições de trabalho não são as ideais, enfim, quando o orçamento é baixo. Minhas participações sempre foram pequenas, mas num curta metragem tudo é importante.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
A mídia dá atenção pras coisas que geram dinheiro… é uma pena, mas parece que é assim que as coisas funcionam.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Adoraria assistir a curtas metragens e não a trailers e propagandas antes de um longa no cinema, por exemplo. Além disso, por que os canais gringos não colocam em sua programação curtas brasileiros, para cumprir as exigências daquela lei? Isso estimularia a produção de novos curtas!!!

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Sem dúvida! No meu caso ainda mais, porque não era - e acho que ainda não sou - ator. Foi a forma que encontrei de fazer circo em outros meios.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
Não sei… pra mim o que funcionou foi conhecer as equipes, circular entre todos no set. E não tenho certeza de que isso tenha ajudado na hora de me escolherem pra fazer um longa, mas na hora da filmagem do longa o fato de conhecer alguns rostos da equipe ajudou bastante.

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Só ganha o jogo quem joga...

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Na verdade já dirijo… de um jeito totalmente intuitivo, faço meus próprios vídeos de circo e esporte. Sou o ator, o câmera, o produtor, o diretor e o editor… a experiência nos filmes, curtas e longos, ajuda muito a intuição a funcionar melhor.

Nenhum comentário: