sábado, 7 de fevereiro de 2015

Márciah Luna Cabral


Atriz, cantora e preparadora vocal. É dela s arranjos vocais criados para o espetáculo teatral “Brasil 70 - Musical”.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
O que me faria aceitar? Uma boa ideia!

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Nunca participei de um curta!

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Nos jornais impressos, falta espaço e crítica especializada e, pela falta de espaço e consequentemente, divulgação, a mídia, em geral, também não se interessa. Teria que haver um plano maior de realização!

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Deveria ser realmente obrigatório a exibição antes de todo e qualquer longa. Também acredito que políticas públicas direcionadas para o segmento também ajudariam, mas a pouca importância, na minha opinião, do público em geral, é falta de educação, de conhecimento. Os profissionais da área podem e devem se juntar para tornar a atividade menos transparente.

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Um espaço primordial para o desenvolvimento de ideias e linguagens.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
Com certeza!

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Como em todas as artes: paciência, perseverança, boa dose de loucura e principalmente: vocação.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Quem sabe?

Nenhum comentário: