sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Marçal Aquino


Romancista, contista, roteirista e jornalista. Em 2005 publica o romance Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”, que em 2012 torna-se filme, dirigido por Beto Brant.

O curta-metragem é o parente mais próximo do conto?
Acho que se pode fazer uma analogia entre o conto e o curta em relação ao romance e ao filme de longa-metragem.

O curta, assim como o conto, tem a síntese como uma das suas funções mais importantes. Como é trabalhar com a síntese?
Existem diversas maneiras de buscar a síntese, seja com a utilização de figuras de narração como a elipse, mas acima de tudo com cuidado de não querer “contar tudo”, respeitando-se sempre a inteligência e a sensibilidade do receptor, no caso o público.

Qual é o texto, conto ou livro que o senhor publicou - ainda não adaptado - que daria uma ótima adaptação em vídeo, seja no cinema ou no curta-metragem?
Já tive diversos contos adaptados, mas, pessoalmente, não penso em nenhuma adaptação – em geral, são os cineastas que têm esse desejo e me procuram.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Não saberia responder a essa questão.

O cineasta, ou produtor, que estiver lendo a sua entrevista nesse exato momento, pode procura-lo para pedir autorização para uma futura adaptação da sua obra em vídeo?
Normalmente, sou acessível a quem me procura por ter interesse na adaptação de alguma obra minha. Basta que eu enxergue uma seriedade de propósito, não costumo criar obstáculos.

O senhor gosta de participar da adaptação ou prefere ficar mais distante?
Se possível, prefiro não me envolver na adaptação, até para ser surpreendido por alguma abordagem diferente daquela que eu normalmente faria.

Qual nome da nossa literatura mereceria ser tema de um documentário? E por que?
São muitos os escritores que merecem um documentário. Para citar apenas dois: Manoel Carlos Karam (1947-2007) e Jamil Snege (1939-2003).

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Não tenho e nunca tive até hoje nenhum desejo de dirigir, seja curta-metragem ou longa-metragem. Sou um escritor e, como tal, estou plenamente satisfeito em participar do processo como roteirista.

Nenhum comentário: