segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Aysha Nascimento


Atriz. Formada pela ELT - Escola Livre de Teatro de Santo André. Membro fundadora da Cia. dos Inventivos e do Coletivo Negro.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Gosto da experiência de curta, pois traz um caráter experimental, e tem a pesquisa e o lugar que todo ator gosta que é a experiência do cinema, que é bem diferente que a do teatro e a da TV.

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Foi ótima, e infelizmente só fiz um curta-metragem, o “Ciranda”. com direção do Kauê Palazzolli, pela ELCV - Escola Livre de Cinema e Vídeo em Santo André.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Acredito eu, porque tem caráter experimental e muitos com baixo orçamento comparado aos longas, sem falar no preconceito que cerca este gênero do cinema.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Sei que existem alguns festivais de curtas, mas eles em sua maioria são alternativos, e Cult, teria que ter uma divulgação e atenção dentro do circuito de mídia rápida e popular, mas fico na dúvida se eles não irão perder qualidade e etc... Tenho medo de tudo que é fácil e chega rapidamente no olhar do grande público, tenho receio do tipo de abordagem.

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
É isso que acredito. Por isso que gosto tanto de curtas, por ser atriz, isso me seduz muito.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
Não sei. Mesmo, este mundo é um pouco distante pra mim ainda, mas bem superficialmente falando acredito que sim.

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Dinheiro? Patrocínio? Costas quentes? Indicação? Talento? Realmente não sei. Não temos um grande incentivo público para esta arte aqui neste país, aliás, pra nenhuma... O financiamento público é bem escasso, despreparado e pouco pensado e discutido com os órgãos competentes.

Pensa em dirigir um curta futuramente? 
Não acredito que sim, embora acredite que tudo pode acontecer, mas penso em fazer como atriz, muitos.

Nenhum comentário: