quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Leandro Gardini


Leandro atua no mercado de trilha sonora desde 2003. Durante esse período já compôs para mais de 50 curtas-metragens no Brasil e no exterior e tem sua obra destacada em prêmios como APCA e concursos de trilha sonora.

Qual é a importância histórica da música no cinema brasileiro?
Posso responder a essa questão analisando a importância histórica da música no cinema mundial o que não é diferente no Brasil. Há quem diga que a música representa 50% da emoção do filme. Complemento dizendo que em certa situações a música representa até mais que isso. A trilha sonora no filme é o que dá o caráter a imagem. é ela o que ajuda o diretor a contar melhor sua história e é nela onde se pode enfatizar melhor os sentimentos que muitas vezes não são tão explícitos só com uma imagem sem música. Daí vem a grande responsabilidade de um compositor de trilha sonora ter um conhecimento e sensibilidade específico para esse ofício já que parte dele entender a fundo o que o diretor quer para o filme.

Um compositor de concertos ou um cancionista por exemplo compõe suas músicas de acordo com o que ele exclusivamente quer e pensa, o que muitas vezes gera um conflito de comunicação com o público. Em grande parte dos casos esse conflito é classificado pelo compositor como incompreensão do público para com sua obra. Já o compositor de trilha não pode dar-se o direito de atribuir a culpa ao público pois ele tem em mão algo muito específico a seguir - as cenas. Sua música deve casar perfeitamente com cada cena, desenvolvimento da trama e expressar com clareza a intenção do filme.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Os curtas-metragens são a introdução de qualquer compositor ao mundo do cinema. Esses filmes representam a grande produção em massa de filmes que quase sempre são desconhecidos do grande público mas geram uma infinidade de oportunidades para aquele compositor que quer praticar sua habilidades em um filme. Na maioria dos casos os compositores de trilha passam anos compondo para diversos curtas até surgir a primeira oportunidade de um longa.

Por que os curtas não tem espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Grande parte do orçamentos dos longas-metragens é destinado a divulgação do filme. Para ter acesso a mídia de massa é necessário subsídio o que a maioria dos curtas não têm.

Como deveria ser a divulgação dos curtas para atrair mais público?
Acredito que cada direção de um curta faz o seu melhor para divulgar o seu trabalho, mas a divulgação pessoal nunca é suficiente se o que é almejado é o grande público. Daí vem, como disse anteriormente, a importância de se ter verba para a divulgação do trabalho. Na maioria dos casos onde não há verba, uma boa oportunidade são os festivais de cinema, fóruns de blogs como esse, onde um público seleto está sempre presente e apto para consumir. São nessas ocasiões onde se pode conhecer novos profissionais do ramo e fazer novos negócios para futuros projetos.

Como avalia a música nos curtas?
Temos de tudo ai. Compositores, de diferentes formações, que estão apenas começando suas carreiras e outros que já tem experiência no ramo e estão prontos para compor para longas. O mercado de curtas é muito variado em todos os ramos profissionais que o envolve, e é dele que surge os grande talentos ao qual vamos ver os seus trabalhos no cinema do futuro.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Ainda não surgiu a vontade de dirigir um curta apesar de já ter trabalhado com filmagens. Talvez essa tarefa eu deixe mesmo para os meu clientes (diretores) pois dirigir um filme, independente do orçamento ou metragem dele, requer muito conhecimento e trabalho contínuo. A música já exige isso e por enquanto é nela onde concentro meus esforços.

Nenhum comentário: