quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Sergio Loroza


Ator e cantor. No cinema atuou em“Giovanni Improtta”; “Cilada.com”; “Xuxa em Sonho de Menina”; “Orfeu”; entre outros.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Na verdade, eu fiz pouquíssimos curtas-metragens. Ainda que a primeira vez num set de cinema tenha sido com um curta. O filme chamava "No tempo das uvas", é preciso ter boa vontade pra me achar no enquadramento... (risos). Respondendo a pergunta: Personagens interessantes e necessários na trama, podem ser motivos pro "sim".

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Acabei respondendo no item anterior... (risos).

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Já teve mais espaço. Antigamente era obrigatório por lei que passasse antes dos filmes gringos, algo produzido no Brasil... Era uma brecha pros curtas-metragens. O que há de bom nisso, é que, em alguns casos, os filmes brasileiros já estão disputando mercado com os blockbusters hollywoodianos.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Os festivais são sempre bem vindos, mas acredito que o foco pudesse ser mais voltado pro publico, ao invés da critica.

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Pode ser!!! Videoclipes, documentários e docudramas também tem revelado gente talentosa.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
A indústria do cinema, ou "cinemão", como as vezes é chamado, comporta muito pouca gente. Como tem tanto talento por ai a fora, a internet se coloca como a grande ferramenta pra se conseguir espaço. Como o ideal é comer pelas beiradas, os curtas podem servir pra acumular experiência pra um longa-metragem, que é, sem duvida, muito mais trabalhoso.

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Perseverança. Espero que seja... Pra não estar perdendo tempo... (risos).

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Eu vou começar dirigindo um videoclipe pra uma canção minha, do meu novo CD... O céu é o limite!!! 

Nenhum comentário: