quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Alexandra Manolio


Atriz. Atuou no curta-metragem “Penetras de Luxo”, entre outros.

O que te faz aceitar participar de produções em curta-metragem?
Estou num momento da minha carreira em que posso recusar trabalhos. Digo isso porque até pouco tempo atrás isso não era possível para mim, por uma série de motivos: dinheiro, visibilidade, treinamento, etc. Ainda assim existem diversas formas de "se aceitar um trabalho". Às vezes gosto do roteiro/texto, às vezes gosto do dinheiro que ele vai me pagar, às vezes gosto do grupo que irá trabalhar junto... 

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Comecei a fazer curtas enquanto estava na faculdade sendo que a produção de todos eles também eram de estudantes, cursando Cinema/Rádio e TV. Aprendi muita coisa junto com eles e sinto que ensinei também, por exemplo na maneira em como tratar um elenco (cuidados, cronograma de filmagem, etc.)

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Eu acho que os curtas ainda são vistos nesse caráter experimental e talvez seja por isso que o espaço destinado a eles ainda seja pequeno.

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Muita gente nunca viu um curta-metragem, por conta dessa falha na divulgação... Já vi em alguns canais de TV aberta "Festival de Curtas" mas são sempre em horários muito tardes. Mesmo na tevê fechada é pouca a oferta para curtas. Encontramos muito mais seriados disponíveis.

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Na minha opinião, qualquer trabalho artístico é passível de experimentação, seja no teatro, cinema ou TV. Tudo depende do roteiro, direção... Não acho que os curtas tenham essa característica primordial.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa?
O que te faz ser visto por novos diretores, produtoras, canais de TV é um trabalho bem feito. Em quaisquer desses veículos alguém pode conhecer o seu trabalho e te chamar para fazer qualquer um outro, inclusive longa. É claro que se você tiver mais familiaridade com a câmera (a maneira de interpretar no teatro e na TV/cinema é muito diferente!!!!) você ficará mais tranquilo para fazer o seu papel, mas não acho que alguém que nunca tenha feito um curta, não possa fazer de cara, um longa.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Dirigir?!?!?! Não vou negar que não pense nisso (Uns sete anos atrás essa possibilidade simplesmente não existia!!!! :) ), mas vai demorar uns bons anos!

Nenhum comentário: