domingo, 22 de novembro de 2015

Gerson Almoster


Ator. Atuou nos espetáculos teatrais “Baixo Augusta”, “Retratos e Canções”, entre outros.

Conte sobre a sua experiência em trabalhar em produções em curta-metragem.
Não tenho muita experiência com curtas metragens. Só participei de duas produções até hoje. Por falta de oportunidade mesmo. Destas que participei, foi uma experiência bem interessante e enriquecedora.

Por que os curtas não têm espaço em críticas de jornais e atenção da mídia em geral?
Não há incentivo para os curtas. As políticas culturais viabilizam produções com atores que tenham visibilidade na mídia. Não há incentivo para as produções independentes. Isso não é uma exclusividade do cinema ou dos curtas-metragens, pois verificamos essa mesma situação no teatro. Quando a produção conta com um ator/atriz mais conhecido, as portas para obtenção de patrocínio está garantido. As empresas querem ter suas marcas vinculadas a personalidades com viabilidade na mídia.  

Na sua opinião, como deveria ser a exibição dos curtas para atingir mais público?
Os curtas deveriam ser veiculados na TV aberta, ente intervalos da programação normal. Outra possibilidade é incluir os curtas na programação dos cinemas, a exemplo do que o Unibanco fazia, no “Curta às Seis”, ou mesmo antes da exibição dos longas. Ao invés de bombardear o público com trailers de filmes, aproveitar esse momento para apresentar curtas.  

O curta-metragem para um profissional (seja ele da atuação, direção ou produção) é o grande campo de liberdade para experimentação?
Acredito que sim. Por ser um trabalho independente, o profissional tem mais liberdade para experimentações.

O curta-metragem é um trampolim para fazer um longa? 
Creio que possa ser sim. Há muitos curta metragens de qualidade, dirigidos por profissionais talentosos e que foram até premiados. A partir daí, pode-se encontrar acesso para a realização de um longa.

Qual é a receita para vencer no audiovisual brasileiro?
Um bom roteiro e uma equipe talentosa e empenhada em realizar o trabalho.

Pensa em dirigir um curta futuramente?
Gostaria mais de trabalhar como ator em curtas. E adquirir mais experiência.

Nenhum comentário: